O descalabro no marcador só surgiu no derradeiro quarto de hora. Na zona de entrevistas, espaço para os comentários dos treinadores Luís Bandeira (Belenenses) e João Duarte (SL Cartaxo).

Artigo

Abordagens diferentes ao jogo: mais refinado o Belenenses, com jogadores de outra qualidade técnica, mais directo o Cartaxo, estruturado num 4x4x2 que apostava sobretudo na velocidade dos alas (José Lopes e Cláudio Teixeira) e no irrequietismo de Ricardo Silva no ataque. Embora os belenenses Dálcio Gomes e Sebastião Castela tenham brilhado no lance em que o segundo desviou por cima, enquanto os forasteiros pareciam manietados nas malhas do fora-de-jogo, mesmo assim estes responderam com um momento ainda de maior frissom, quando enviaram à barra.

À passagem do quarto de hora adiantou-se o Belenenses no marcador, através da concretização de uma grande penalidade. Apesar de transmitirem um élan de que a qualquer momento seriam capazes de fazer muito mais, até ao intervalo tal não aconteceu. Mais com o coração do que com verdadeira capacidade, o Cartaxo não deixou de tentar o ataque, contando principalmente com o inconformismo de Ricardo Silva ou as iniciativas de Cláudio Teixeira, logrando mesmo alguns lances de perigo, num dos quais, que registámos a Paulo Piedade ao minuto 23, teve direito a intervenção do guarda-redes.

Ao intervalo ambos os treinadores mexeram nas equipas. Luís Bandeira refrescou meio-campo e ataque. João Mourinha, sem alterar o 4x4x2 original, fez recuar José Lopes para lateral-direito, subindo no terreno Diogo Nogueira e, com isso, abriu espaço para a introdução de Rodrigo Ferreira para o eixo do meio-campo. Desta vez entrou fortíssimo o Belenenses mas, sem que o golo surgisse, dez minutos volvidos parecia estar a perder gás. No entanto, face ao perigoso Sebastião Castela, e sem que o conseguisse travar, Ruben Faustino recorreu a falta e uma vez que já levava amarelo do primeiro tempo, da grande penalidade, viu o segundo e foi expulso.

O 2-0 não tardou. Face ao recuo de Afonso Cartaxeiro para o lugar deixado vago pelo central, acompanhado por uma maior proximidade entre as linhas do meio-campo e defesa, com um despovoamento do ataque, adivinhavam-se momentos difíceis para o Cartaxo, mas mesmo assim Cláudio Teixeira logrou reduzir à margem mínima (2-1). Tal não desmoralizou o Belenenses. Agora com Diogo Cleto no ataque, continuou a pressionar intensamente até chegar ao 3-1, neste caso numa boa parceria entre Máximo Antunes e Adjeil Neves.

Dois minutos volvidos, aos 70, Cláudio Teixeira desmarcou Ricardo Silva que, isolado na cara do golo, proporcionou defesa ao guarda-redes. Este foi o canto do cisne para a turma do Cartaxo, que se afundou nos derradeiros minutos. Aí, cederam mais duas grandes penalidades, que Sebastião Castela não perdoou, e já nos instantes finais ofereceram a João Mondim o ensejo de fixar o marcador no 6-1 final.

Alguns nomes a destacar, começando pelo Cartaxo. O seu melhor jogador terá sido o médio-ala Cláudio Teixeira. Também ao nível do meio-campo, onde começou como ala, até recuar para lateral-direito na segunda parte, uma menção honrosa para José Lopes. O avançado Ricardo Silva valeu sobretudo pelo seu inconformismo.

Quanto ao Belenenses, o seu melhor elemento, mesmo a uma escala global, terá sido o lateral Máximo Antunes. No meio-campo, destacamos Adjeil Neves e, no ataque, Sebastião Castela, hoje autor de um hack-trick. Dos suplentes, o irrequietismo de Diogo Cleto não passou despercebido.

Campo nº 2 do Estádio do Restelo, 12 de Maio de 2013, 11:00 horas.
12ª Jornada do Campeonato Nacional de Juvenis da 1ª Divisão (2ª Fase, Manutenção/Descida, Série D), 2012/2013.
Sob a arbitragem de Nuno Afonso, auxiliado por Vítor Veigas e Paulo Vicente (AF Lisboa), as equipas alinharam:
Belenenses: 1- Rafael Conceição; 2- Máximo Antunes, 3- Paraíso, 4- André Santos e 5- João Lucas; 6- João Diogo "cap." (14- Filipe Rosário, ao intervalo), 7- Bruno Pires, 8- Adjeil Neves e 9- Sebastião Castela; 10- Diogo Soares (17- Diogo Cleto, aos 52') e 11- Dálcio Gomes (18- João Mondim, ao intervalo). Treinador: Luís Bandeira.
SL Cartaxo: 73- Luís Barradas; 10- Afonso Cartaxeiro, 20- Ricardo Silva, 23- José Lopes e 26- Gonçalo Barradas (70- Ricardo Magalhães, aos 72'); 31- Diogo Correia (52- Rui Esteves, aos 67'), 67- Cláudio Teixeira, 68- Diogo Nogueira e 71- Ruben Faustino "cap."; 77- Paulo Piedade (8- Rodrigo Ferreira, ao intervalo) e 99- Gonçalo Benavente. Treinador: João Duarte.
Golos: 1-0, Sebastião Castela (16', g.p.); 2-0, Bruno Pires (56'); 2-1, Cláudio Teixeira (60'); 3-1, Máximo Antunes (68'); 4-1, Sebastião Castela (75', g.p.); 5-1, Sebastião Castela (80', g.p.); 6-1, João Mondim (80+3').
Acções disciplinares: amarelos para André Santos e João Diogo (Belenenses); Ruben Faustino (2), Gonçalo Barradas, José Lopes e Ricardo Magalhães (SL Cartaxo). Vermelho por acumulação para Ruben Faustino, aos 53' (SL Cartaxo).
Observações: com a saída de João Diogo, ao intervalo, a braçadeira de "capitão" passou para Rafael Conceição (Belenenses). Com a saída de Ruben Faustino, aos 53', a braçadeira de "capitão" passou para Afonso Cartaxeiro (SL Cartaxo).