Trigésima vitória consecutiva, no cair do pano deste Campeonato Distrital. Na zona de entrevistas, espaço para os comentários dos treinadores Fernando Costa (Belenenses) e Ricardo Santos (Barril).

Artigo

Bateu-se bem o Barril, bem disciplinado no seu 4x2x3x1, apostado em desiquilibrar sobretudo pela acção dos alas, nomeadamente Ricardo Pereira (esquerda) e João Lopes (direita). O primeiro lance de perigo seria mesmo pertença dos forasteiros, aí graças à acção do médio-ofensivo Gonçalo Moreira. Todavia, o facto é que aos 5 minutos já o Belenenses ganhava por 1-0, na sequência do bom entendimento do seu colectivo.

O Barril não esmoreceu e à passagem do quarto de hora esteve à beira do empate, num lance gizado entre Ricardo Pereira e João Lopes, a que o guarda-redes se opôs com defesa para canto. Novamente, seria o Belenenses a marcar, desta vez através da concretização de uma grande penalidade que veio punir falta sobre Jota. Com o resultado em 2-0, nos derradeiros quinze minutos da primeira parte vimos o Belenenses ao seu melhor nível, muito por culpa da acção de um Gonçalo Fogaça endiabrado, que protagonizou sucessivos lances até que assistiu Delman Santos para o 3-0. Em cima do apito para o intervalo este teve nos pés a possibilidade de bisar, mas o guarda-redes do Barril negou-lhe o intento.

Já na segunda parte, aí o entusiasmo decresceu. Optou o Barril por trocar de lateral-esquerdo e também de ponta-de-lança, o que ia dando frutos aos 54 minutos, quando Jaula surgiu na proximidade do guarda-redes belenense, mas este estava atento e interceptou. Mais perto esteve o Belenenses de aumentar por André Galamba, que proporcionou ao guarda-redes do Barril mais uma das muitas intervenções valorosas que teve ao longo da partida.

Ambos os treinadores lançaram então as suas substituições. O Barril voltou a mudar de ponta-de-lança, acabando João Pedro nessa posição, agora auxiliado por Cláudio Camarão à rectaguarda, Jaula e Ricardinho nas alas. Pelo Belenenses, Fernando Costa mexeu em profundidade e saiu vitorioso do confronto, muito por "culpa" do dinamismo de Diogo Cleto. Este seria o autor do 4-0 final, o que não ofusca o facto de ter estado algo perdulário na hora do remate (incluindo uma bola ao poste), no que de resto também foi imitado por Mamadou Bah, embora em menor escala.

Alguns nomes a reter, começando pelo Barril. Apesar dos quatro golos sofridos, há que dar valor ao guarda-redes Miguel Miranda. Ainda menções honrosas para o lateral-direito Fogaça e para o médio-ala João Lopes.

Quanto ao Belenenses, começamos por destacar na defesa o lateral Tomás Silva. No meio-campo, preferimos Jota, com André Galamba a levar uma menção honrosa. No ataque a escolha é algo complicada desta vez, mas escolhemos Gonçalo Fogaça, em nome das duas assistências que rubricou para golo.

Campo nº 3 do Estádio do Restelo, 8 de Junho de 2013, 17:00 horas.
14ª Jornada do Campeonato Distrital de Juniores da 3ª Divisão (2ª Fase, Apuramento do Campeão), 2012/2013.
Sob a arbitragem de Ruben Teles, auxiliado por João Martins e Emanuel Franco, as equipas alinharam:
Belenenses: 1- Patrick Costa "cap." (12- Tiago Pereira, aos 59'); 2- Tomás Silva, 3- Pedro Patrício, 4- Rui Casanova e 5- Pedro Justo (16- Renato, aos 69'); 6- Miguel Santinhos, 7- Delman Santos (14- Mamadou Bah, aos 59'), 8- André Galamba e 9- Gonçalo Fogaça (17- Diogo Cleto, aos 69'); 10- João Silva "Jota" e 11- Bruno Santos (15- João Diogo, aos 69'). Treinador: Fernando Costa.
Barril: 1- Miguel Miranda; 3- Filipe "Original", 13- Gonçalo Moreira (10- Ricardo "Ricardinho", aos 69'), 16- Cristiano Santos (22- Rodolfo Reis "Fina", ao intervalo) e 17- Pedro Santos; 19- Luís Gomes, 20- João Lopes "cap." (7- Cláudio Camarão, aos 78'), 31- Rodrigo "Manolas" e 40- Ricardo Pereira (11- João Pedro, aos 78'); 69- Fogaça e 96- Vitinho (77- João Santos "Jaula", ao intervalo). Treinador: Ricardo Santos.
Golos: 1-0, Bruno Santos (5'); 2-0, Miguel Santinhos (22', g.p.); 3-0, Delman Santos (38'); 4-0, Diogo Cleto (85').
Acções disciplinares: amarelo para João Diogo (Belenenses).
Observações: com a saída de Patrick Costa, aos 59', a braçadeira de "capitão" passou para Pedro Justo (Belenenses). Com a saída de João Lopes, aos 70', a braçadeira de "capitão" passou para Pedro Santos (Barril).