Aos sete minutos já o Belenenses ganhava por 3-0. Na zona de entrevistas, espaço para os comentários dos treinadores Joel Pinto (Pinheiro de Loures) e Fernando Costa (Belenenses).

Artigo

Perante um eixo defensivo algo desconcentrado nos minutos iniciais, o ataque belenense não se fez rogado e facturou de rajada três golos. Apresentando-se num 4x5x1 que procurava desdobrar em 4x3x3 uma vez de posse da bola, a turma local tentou reagir, primeiro através de lances de bola parada, perigosos na execução de Leonel Dias e, já mais perto do intervalo, pelo bom entendimento entre Fábio Lopes e Paulo Teixeira. De permeio desperdiçou o Belenenses uma mão-cheia de golos, muito por acção de Gonçalo Fogaça, algo perdulário no momento de finalização, incluindo uma bola à barra e um golo anulado (este, a Pedro Patrício) na sequência de um canto.

Para a segunda parte o jogo não se alterou muito. Por força das substituições talvez o Pinheiro de Loures tenha tentado reforçar um pouco a aposta no 4x3x3, enquanto que o ataque belenense parecia algo desinspirado, embora sempre mais perto do golo, destacando-se agora nesse capítulo Bruno Santos. A maior novidade veio aos 62 minutos, quando Joel Pinto trocou Sampa e Paulo Nascimento, respectivamente, por João Costa e Daniel Carvalho. Entre todas as alterações operadas, por reposicionamento de jogadores ou através de substituições, esta foi a que melhores resultados deu. Sampa entrou para central e Paulo Teixeira recuou para médio defensivo, passando o ponta-de-lança (Ruben) a ser servido por Daniel Carvalho e Célio Martins. Note-se que este último tinha sido, até então, central. Como extremo, trouxe um dinamismo acrescido e algum equilíbrio às operações.

Fernando Costa também tinha algumas cartas na manga, entre as quais Sebastião Castela, que pouco depois de ter entrado marcou e fixou o resultado no 4-0 final. Já nos instantes finais o guarda-redes da casa negou o quinto a Bruno Santos, enquanto Leonel Dias, de ressalto, teve nos pés o tento de honra, mas rematou mal.

Alguns nomes a reter, começando pelo Pinheiro de Loures. Célio Martins foi o jogador mais em foco, mas preferimo-lo a extremo e não tanto a central. Ainda uma menção honrosa para o médio Leonel Dias, um dos poucos que manteve a posição ao longo dos 90 minutos.

Quanto ao Belenenses, e começando pela defesa, aí destacamos hoje Pedro Patrício. O meio-campo brilhou pela força de André Galamba, havendo a dar uma menção honrosa nesse sector a Jota. O ataque esteve todo ele em foco, pelo mérito que teve na criação dos lances ofensivos, de modo que algo arbitrariamente sugerimos o nome de Gonçalo Fogaça, autor do golo inaugural.

Campo Major Rosa Bastos (Pinheiro de Loures), 4 de Maio de 2013, 16:00 horas.
9ª Jornada do Campeonato Distrital de Juniores da 3ª Divisão (2ª Fase, Apuramento do Campeão), 2012/2013.
Sob a arbitragem de Fernando Botelho, auxiliado por Daude Dulla e Jorge Gouveia, as equipas alinharam:
Pinheiro de Loures: 1- Sílvio Nunes; 2- José Batalha, 4- Ailton "Sampa" (5- João Costa, aos 62'), 6- José Rodrigues e 7- Leonel Dias; 8- Paulo Nascimento "cap." (18- Daniel Carvalho, aos 62'), 10- Célio Martins, 14- Paulo Teixeira e 15- José Silva (13- Jorge Rosa, aos 82'); 16- Fábio Lopes (9- Ruben, ao intervalo) e 17- Daniel Pendão. Treinador: Joel Pinto.
Belenenses: 1- Patrick Costa (12- Tiago Pereira, ao intervalo); 2- Tomás Silva "cap.", 3- Pedro Patrício, 4- Rui Casanova e 5- Pedro Justo; 6- Miguel Santinhos (15- Renato, aos 60'), 7- Mamadou Bah (14- Rúben Martinho, aos 70'), 8- André Galamba e 9- Gonçalo Fogaça (16- Sebastião Castela, aos 70'); 10- João Silva "Jota" e 11- Bruno Santos. Treinador: Fernando Costa.
Golos: 1-0, Gonçalo Fogaça (1'); 2-0, André Galamba (5'); 3-0, Bruno Santos (7'); 4-0, Sebastião Castela (73').
Acções disciplinares: amarelos para Fábio Lopes, Célio Martins, Ailton "Sampa" e Paulo Teixeira (Pinheiro de Loures); André Galamba e Gonçalo Fogaça (Belenenses).
Observação: com a saída de Paulo Nascimento, aos 62', a braçadeira de "capitão" passou para José Rodrigues (Pinheiro de Loures).