Destaque para o hack-trick de Bruno Santos. Na zona de entrevistas, espaço para os comentários do treinador Fernando Costa (Belenenses).

Artigo

Entrou melhor o Belenenses, desperdiçando de rajada vários lances de perigo, fruto também da boa actuação do guarda-redes contrário. Perante um Carenque que se apresentou originalmente em 4x5x1, com um meio-campo muito povoado, a turma da casa enredou-se nessa luta durante alguns minutos, até Bruno Santos vir quebrar o enguiço com o seu golo inaugural.

Tentou reagir o Carenque, mas só de bola parada conseguia acercar-se da baliza belenense, obrigando todavia o guarda-redes a defesa aparatosa à passagem da meia-hora. Por essa altura já o Belenenses vencia por 2-0, num remate de meia-distância de André Galamba.

Ainda antes do intervalo fez Nuno Dias sair o seu ponta-de-lança de referência (o possante Quaresma), rodando à vez ora Varela, ora Fábio Silva, nessa posição. Com bola, a ideia era desdobrar a equipa em 4x3x3, contando com o apoio nas alas de Emanuel e Jaló. Mais tarde, este cedeu lugar e posição a Flávio Reis. Na prática, o que aconteceu foi mais um golo para o Belenenses, num excelente lance do colectivo com um total não inferior a dez passes até culminar no remate de Bruno Santos.

A partir daí o Carenque soçobrou, acumulando mais três golos em menos de vinte minutos. Em desvantagem por 6-0, recuperou a compostura, ameaçou reduzir por Fábio Silva e concretizou finalmente por Varela, em cima do apito final. Nesta altura já o Belenenses ia nos 7-0, completanto aí Bruno Santos o seu hack-trick. E isto é simplificando a narrativa, uma vez que omitimos atrás os lances de ataque em que o Jota esteve envolvido, o remate de Tomás Silva ou os golos invalidados ao Belenenses, por exemplo. Como o resultado sugere, este nunca foi um jogo equilibrado.

Alguns nomes a reter, começando pelo Carenque. Gostámos do ala Emanuel e dos médios Fábio Silva e Varela, estes posicionados ao nível da faixa central.

Quanto ao Belenenses, e para além do destaque natural ao hack-trick de Bruno Santos, há a sublinhar o intenso trabalho dos médios André Galamba e Jota. Ainda uma menção honrosa para o avançado Gonçalo Fogaça.

Campo nº 3 do Estádio do Restelo, 1 de Maio de 2013, 16:00 horas.
8ª Jornada do Campeonato Distrital de Juniores da 3ª Divisão (2ª Fase, Apuramento do Campeão), 2012/2013.
Sob a arbitragem de Rui Alves, auxiliado por Tito Mendonça e Ricardo Luz, as equipas alinharam:
Belenenses: 1- Patrick Costa (12- Tiago Pereira, ao intervalo); 2- Tomás Silva "cap.", 3- Pedro Patrício, 4- Miguel Santinhos e 5- Pedro Justo; 6- João Diogo (15- Sebastião Castela, aos 57'), 7- Mamadou Bah (14- Rúben Martinho, aos 57'), 8- André Galamba e 9- Gonçalo Fogaça; 10- João Silva "Jota" e 11- Bruno Santos. Treinador: Fernando Costa.
Carenque: 1- João; 2- Rafael Pires, 8- Fábio Silva, 10- Varela "cap." e 11- Emanuel; 14- Diogo Delgado (5- Wica, aos 65'), 16- Jaló (7- Flávio Reis, aos 70'), 17- Pedro Costa e 18- Fábio Dias; 19- Quaresma (9- Marco Pimenta, aos 36') e 22- Pedro Magalhães. Treinador: Nuno Dias.
Golos: 1-0, Bruno Santos (20'); 2-0, André Galamba (29'); 3-0, Bruno Santos (53'); 4-0, Gonçalo Fogaça (58'); 5-0, Gonçalo Fogaça (61'); 6-0, Sebastião Castela (70'); 7-0, Bruno Santos (82'); 7-1, Varela (90').
Acções disciplinares: amarelo para Marco Pimenta (Carenque).