Belenenses fez a diferença de grande penalidade, perante um Estoril que jogou toda a segunda parte reduzido a dez unidades. Na zona de entrevistas, espaço para os comentários dos treinadores Pedro Rodrigues (Estoril Praia) e Bruno Pinheiro (Belenenses).

Artigo

Entrada algo cautelosa das duas equipas, com o primeiro lance digno de registo a ser precisamente o da grande penalidade, que Tiago Fernandes tratou de converter. Apresentando um 4x3x3 onde os extremos pareciam algo retraídos, por opção táctica, o Estoril Praia tentou reagir e Caniço protagonizou dois bons lances que podiam ter dado empate. Valeu ao Belenenses, no primeiro, a rapidez de Bruno Sales e, no segundo, a má pontaria do ponta-de-lança.

Aos 42 minutos o lateral Filipe tomou a iniciativa e, depois de ultrapassados dois defesas, caiu na proximidade de Bruno Sales. O árbitro interpretou o lance como simulação e mostrou ao estorilista a cartolina amarela que, por ser a segunda, lhe valeu a expulsão.

Reduzido a dez unidades, o Estoril Praia procurou reorganizar-se ao intervalo em 4x4x1. Marcelino recuou para lateral-direito e o segundo extremo, Francisco, entretanto amarelado, saiu. Entraram Pedro Correia e Baixinho, ambos para o meio-campo, procurando o segundo assumir um papel mais ofensivo. Mau-grado um ou outro esboço de reacção, a segunda parte não correu de feição para o Estoril Praia. Com rapidez nas suas movimentações ofensivas, o Belenenses acumulou uma mão-cheia de lances de perigo, anulados nuns casos por cortes "in extremis" da defesa, noutros por acção directa do guarda-redes.

Sem que o segundo golo viesse, o Estoril Praia galvanizou-se para os cinco minutos finais, nomeadamente pela acção de Pedro Correia, que esteve perto do empate, e da disponibilidade habitual de André Eusébio. Foi então a vez de Ricardo Fernandes & cia mostrarem serviço, segurando a vantagem belenense até final.

Alguns nomes a reter da partida, começando pelo Estoril Praia. Gostámos do lateral Dinamite, atento, e do médio André Eusébio, muito trabalhador, tanto a defender como a atacar. Ainda uma menção honrosa para o voluntarismo do avançado Caniço.

Quanto ao Belenenses, e começando pela defesa, destacamos hoje o lateral Diogo Silva. No meio-campo, a combatividade de Tiago Fernandes e a dinamização ofensiva de João Pinto foram ambos motivos de interesse. Uma palavra final para a intensidade do avançado Pedro Rosário, só lhe faltou mesmo concretizar na segunda parte.

Estádio António Coimbra da Mota (Monte Estoril), 5 de Maio de 2013, 16:00 horas.
12ª Jornada do Campeonato Nacional Juniores da 1ª Divisão (2ª Fase, Manutenção/Descida, Zona Sul), 2012/2013.
Sob a arbitragem de João Pinto, auxiliado por André Dias e Pedro Malheiro (AF Lisboa), as equipas alinharam:
Estoril Praia: 12- João Manuel; 4- Sobral "cap.", 7- Francisco (17- Pedro Correia, ao intervalo), 8- Baltazar e 10- André Eusébio; 15- Filipe, 16- Marcelino, 21- Caniço e 23- Maurício (11- Gonçalo, aos 76'); 24- Duda (9- Baixinho, ao intervalo) e 29- Dinamite. Treinador: Pedro Rodrigues.
Belenenses: 1- Ricardo Fernandes; 2- David Carvalho, 3- Bruno Sales, 4- Nuno Tomás e 5- Diogo Silva; 6- Fábio Meirinhos "cap.", 7- Edi Oliveira (16- Miguel Lopes, aos 66'), 8- Tiago Fernandes (14- Tomás Gregório, aos 79') e 9- Gonçalo Gregório (17- Gonçalo Barroso, aos 76'); 10- João Pinto e 11- Pedro Rosário. Treinador: Bruno Pinheiro.
Golo: 0-1, Tiago Fernandes (17', g.p.).
Acções disciplinares: amarelos para Filipe (2), Francisco, Caniço e Dinamite (Estoril Praia); Gonçalo Gregório e David Carvalho (Belenenses). Vermelho por acumulação para Filipe, aos 42' (Estoril Praia).