Aquém das expectativas, além de que nem sequer foi tão emocionante quanto o resultado possa sugerir. Na zona de entrevistas, espaço para os comentários dos treinadores Bruno Pinheiro (Belenenses) e Tiago Vicente (União de Leiria).

Artigo

Vitória justa num mau jogo de futebol. Belenenses ao ataque, mas lento até ao quarto de hora, altura em que o União de Leiria foi lá à frente pela primeira vez e ganhou canto. A partir daí, entre boas triangulações e pela introdução de alguma velocidade, o Belenenses gizou vários lances de perigo, envolvendo tipicamente João Pinto e Miguel Lopes, num dos quais registámos uma vistosa intervenção do guarda-redes leiriense. Adivinhava-se o golo, que surgiria à passagem do minuto 34, apontado por Gonçalo Gregório.

Tentou reagir o União de Leiria, apostando na mobilidade do trio atacante do seu 4x3x3, e o empate esteve perto de acontecer, numa boa iniciativa de Jota que falhou o alvo por pouco. Já no arranque da segunda parte, a tenacidade de Gonçalo Gregório rendeu o 2-0. Na resposta, e de canto, reduziu o União de Leiria. O jogo parecia aquecer, mas a breve trecho voltou-se à rotina da primeira parte, isto é: Belenenses ao ataque, com as melhores oportunidades, algumas boas triangulações e não muita velocidade. Pelo União de Leiria arriscou-se a subtracção de um central (Gonçalo) por alguém (José Sampaio) que primeiro assumiu funções de ala direito, mais tarde passou a extremo. Apesar desta aposta no ataque, que contava com a colaboração de Pepo numa posição ambígua na faixa central, entre o meio-campo e a área belenense, tudo foi mais teórico do que real. O pendor do jogo nunca se alterou e foi sem surpresa que surgiu o 3-1, num livre que veio punir falta sobre Gonçalo Gregório. Sobre o golo propriamente dito, digamos que veio manchar a prestação do último reduto leiriense.

Aos 76 minutos José Sampaio terá sido desarmado em falta no interior da área, donde resultou grande penalidade pela qual Pepo reduziu para 3-2. Até final, apesar do esboço de um ou outro ataque rápido, e mesmo contando com a entrada de Luiz Sousa para um papel de segundo avançado, não mais o guarda-redes belenense viveu qualquer situação de stress. O mesmo não poderá dizer o seu homólogo leiriense, que ainda teve de se aplicar para interceptar novo livre.

Alguns nomes a reter da partida, começando pelo União de Leiria. Gostámos dos laterais, Beato (esquerda) e Miguel Ângelo (direita), mas sublinhamos em especial a técnica e espírito de iniciativa do extremo Jota.

Quanto ao Belenenses, o maior destaque vai para Gonçalo Gregório, autor de dois golos e para mais envolvido no terceiro. Ambos os laterais (David Carvalho e Diogo Silva) estiveram bem. João Pinto e Miguel Lopes jogaram muito, embora nos queira parecer que num ou noutro lance podiam ter feito algo mais, mas isso talvez tenha sido por contágio, digamos assim.

Campo nº 2 do Estádio do Restelo, 20 de Abril de 2013, 16:00 horas.
10ª Jornada do Campeonato Nacional Juniores da 1ª Divisão (2ª Fase, Manutenção/Descida, Zona Sul), 2012/2013.
Sob a arbitragem de Rui Soares, auxiliado por Edgar Duarte e Filipe Lascas (AF Santarém), as equipas alinharam:
Belenenses: 1- Ricardo Fernandes; 2- David Carvalho, 3- Pedro Torrado, 4- Nuno Tomás e 5- Diogo Silva; 6- Fábio Meirinhos "cap.", 7- Miguel Lopes (18- Edi Oliveira, aos 87'), 8- Tiago Fernandes (14- Muelson Samate, aos 72') e 9- Gonçalo Gregório (16- Gonçalo Barroso, aos 78'); 10- João Pinto e 11- Pedro Rosário. Treinador: Bruno Pinheiro.
União de Leiria: 1- Vítor; 2- Beato, 4- Tiago Esgaio "cap.", 7- Gonçalo (10- José Sampaio, aos 65') e 8- Pepo (90- Luiz Sousa, aos 85'); 9- Jota, 11- Aliú (29- João Gomes, ao intervalo), 17- Luís Oliveira e 20- Miguel Ângelo; 25- Diogo e 70- Madruga. Treinador: Tiago Vicente.
Golos: 1-0, Gonçalo Gregório (34'); 2-0, Gonçalo Gregório (46'); 2-1, Tiago Esgaio (47'); 3-1, Tiago Fernandes (68'); 3-2, Pepo (76', g.p.).
Acções disciplinares: nada a registar.